Customer Service | Help | FAQ | PEP-Easy | Report a Data Error | About
:
Login
Tip: To keep track of most cited articles…

PEP-Web Tip of the Day

You can always keep track of the Most Cited Journal Articles on PEP Web by checking the PEP Section found on the homepage.

For the complete list of tips, see PEP-Web Tips on the PEP-Web support page.

Lobo, F.L. (1961). “INVENÇÃO DO EU” : REESTRUTURAÇÃO DE UM EGO FEMININO ACOMPANHADA NA PRODUÇÃO POÉTICA DE UMA PACIENTE. Rev. psicoanál., 18S(Supplement):71-84.

(1961). Revista de Psicoanálisis, 18S(Supplement):71-84

“INVENÇÃO DO EU” : REESTRUTURAÇÃO DE UM EGO FEMININO ACOMPANHADA NA PRODUÇÃO POÉTICA DE UMA PACIENTE

Fabio Leite Lobo

Desde os trabalhos pioneiros de Sigmund Freud, a pesquisa psicanalítica revelou a importância do papel do Ego no quadro da saúde e da doença mentais, e a Psicanálise a pouco e pouco passou a põr seu fulcro na Psicologia do Ego. Numeroso ról de investigadores entregaram-se à tarefa de descobrir e descrever as particularidades da origem, da estruturação, do desenvolvimento, do funcionamento normal e patológico do Ego. Dentre todos, Federn, Anna Freud, Hartmann, Kris, Loewenstein, D. Rapaport, W. Hoffer Spitz, Fairbairn, M. Klein e colaboradores e E. Erikson trouxeram contribusções hoje clássicas no corpo de doutrina psicanalítico.

Em minha práctica, tive oportunidade de tratar de um caso que por questões particularísimas permite documentar alguns dêstes aspectos, sobretudo quanto aos processos de estructuração (mais apropriadamente, à “reestruturação regressiva”) do Ego, através de produção literária de uma paciente.

Para melhor avaliar o material em que a doente descreve a “invenção do eu”, denominação por ela dada ao processo, resumirei a seguir alguns elementos de seu tratamento, que se estendeu por cêrca de 4 anos (aproximadamente 700 horas de análise).

Trata-se de uma moça de 35 anos, a quem chamarei Ana, com formação universitária, mais velha quinze meses que outra irmã, filhas de um matrimônio em que o pai, embora tendo ocupado posições públicas de destaque, era uma figura fraca, dominado pela mãe, mulhe forte, impositiva e absorvente, descendente de tradicional família brasileira.

[This is a summary or excerpt from the full text of the book or article. The full text of the document is available to subscribers.]

Copyright © 2019, Psychoanalytic Electronic Publishing, ISSN 2472-6982 Customer Service | Help | FAQ | Download PEP Bibliography | Report a Data Error | About

WARNING! This text is printed for personal use. It is copyright to the journal in which it originally appeared. It is illegal to redistribute it in any form.